Circuito Indomit – Pedra do Baú

Dessa vez o desafio escolhido foi Pedra do Baú – Circuito Indomit…

A Pedra do Baú localiza-se na cidade São Bento do Sapucaí/SP na tão conhecida Serra da Mantiqueira. Tem como altura 400 metros e está, aproximadamente, 1900 metros acima do mar. Assim que estávamos quase chegando na cidade (viajamos de carro de Campinas até lá), nossa curiosidade era tamanha para ver a tal grandiosidade por qual é conhecida. Bom, nossa viagem foi corrida e com foco na corrida (kkkkk). Então não vamos ter muito o que falar da cidade. Mas o que percebemos foi ser um local acolhedor, realmente uma cidade do interior.

Vamos falar da prova que é o que nos interessa, certo? Chegamos e fomos direto à Pousada Quilombo Resort para pegar nossos kits para os 21km (Raquel) e os 35km (Rafael) e logo após assistir ao Congresso Técnico, que ocorreu no mesmo lugar. O kit era composto pela camiseta da corrida (muito boa por sinal), viseira, copo retrátil, número do peito, pulseira para festa, carbogel, suco da uva e uma revista. Tudo muito bem organizado o que só aumentou nossa expectativa para a prova!

Como nossa casa alugada ficava muito perto da largada, não tivemos que acordar tão mais cedo e às 6am estávamos de pé para a largada dos 35km e 50km que aconteceria às 7h. O Rafael correu com o tênis fuji runnegade (asics) e com a mochila de hidratação da Camelbak de 3 litros; Já eu fui com o cross da Pearl Izumi e a mochila de hidratação da Salomon. A arena da largada ficou bacana com guarda volumes onde tudo seria transportado para o final da prova que aconteceria no heliponto da Pousada Quilombo Resort. Uma única reclamação que temos é da quantidade de banheiros químicos. Principalmente para a largada dos 12km e 21km às 7h30 houve muita fila para serem utilizados.

20170401_064350_001.jpg

Bem, na largada era uma festa tremenda e angústia misturada com uma dúvida de como iríamos reagir ao ganho de altimetria tão elevado. Para os 21k foi um total de 1.294 metros; e para os 35km, 1.817 metros. As pernas começaram a fadigar já nos primeiros 10 km, que foram uma única grande subida partindo de uma altitude de 873 metros até os 1.635 metros.

Tudo muito bem sinalizado, quase impossível de se perder nas trilhas. Cheia de fotógrafos ao longo do percurso para não perder nenhum instante de alegria (e de dor também…aff) e o visual daquele lugar! Sobre o visual? Não temos palavras. Sem dúvida foi a natureza mais imponente na qual já corremos! As montanhas e os vales eram de tirar o fôlego (literalmente!) e nos faziam, nos momentos de solidão, refletir sobre o quão é bacana esse esporte e quanto somos gratos por ter aquela oportunidade de estar em contato direto com a natureza.

Os pontos de hidratação foram bem distribuídos tendo água para abastecer a mochila de hidratação, açaí, batata Ruffles, amendoim japonês, cream cracker, Coca Cola, Gatorade, frutas e carbogel. O clima estava ameno o que contribuiu para um desgaste menor. Só mesmo quem fez os 50km que pegou um solzinho de rachar.

Ao final da prova? Nossa, um misto de empolgação por termos completado a prova mais difícil que já corremos em nossas vidas e uma tristeza em saber que as dores musculares estavam por vir. Ficamos felizes que, apesar do desgate tremendo, não tivemos nenhuma dor articular que impossibilitasse a conclusão da prova. Aproveitamos para nos hidratar na tenda que tinha frutas, Coca-Cola, biscoitos, e se desidratar tomando um espumante enquanto esperávamos nossos amigos chegarem dos 50km.

Um ponto negativo que achamos foi ter somente uma massagista para atender um volume grande de atletas. Mas fora isso, o clima foi muito bacana! A cada atleta que chegava, a torcida se inflava, reconhecendo toda a superação daqueles guerreiros que conseguiam completer a prova. Ao longo do tempo, a classificação já ia saindo ao vivo no site e impresso na arena de chegada. Muito bacana! Ah, lembrando que a modalidade 50 Km da INDOMIT São Paulo Ultra-Trail® 2017 faz parte da seleta lista de provas que pontuam para a tradicional Ultra-Trail du Mont-Blanc®! Então pense como foi casca grossa essa prova!

A premiação aconteceu à noite no mesmo lugar do Congresso Técnico. E, nesta prova, vimos um nível altíssimo dos atletas. Olha aí os tempos dos primeiros colocados (cabuloso!):

12km: IVAN PIRES – 57:49 e PATRICIA SIQUEIRA DE PAULA – 1:17:40

21km: ALEXANDRE SANTIAGO – 1:56:45 e LUCIANA DE PAULA CUNHA – 2:21:53

35km: FABRICIO HENRIQUE BARBOSA – 3:21:57 e EMILY INACIO BARBOSA – 4:19:21

50km: CLEVERSON LUIS DEL SECCHI – 5:01:49 e CAMILA FEIJO – 07:09:41

20170401_220301Logo após, teve a festa de encerramento da prova com banda ao vivo, salgadinhos incluídos e as bebidas deveriam ser compradas à parte.

Se valeu a pena? É claro que valeu. O Circuito Indomit recebeu nosso carimbo de “Aprovado” tanto na escolha do local da prova como a organização dela. Se indicamos para qualquer um? Não, para essa prova o atleta amador deve ter um nível bom de provas já realizadas se não o sofrimento será demasiado. Bem, enquanto as nossas pernas ainda doíam, por conta das subidas e descidas bem técnicas, já estávamos pensando: “Não é que podemos repetir a dose nos próximos anos?” Se somos loucos: “Hmmmm, nós e todos os outros que completaram a prova! E já dizia o slogan “A força provém de uma vontade indomável!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s