Mountain Do – Fim do Mundo, que frio foi esse mermão?

Nosso intuito era completar o desafio 7 maratonas em 7 continentes (Seven Continents Club) mas quando vimos o valor da maratona na Antártica, suspendemos por um tempo. Então pensamos: vamos correr no Ushuaia (Argentina) pra sentir um pouquinho de como é correr no frio já que é a cidade base para as expedições pra Antártica (tipo Fim do Mundo, sabe como é?).
Bem, fizemos nossas inscrições no Mountain Do – Fim do Mundo em novembro de 2017 (a prova foi dia 26/08/18), ou seja, com bastante antecedência pra aproveitar o primeiro lote da maratona no valor R$ 1.057 (carinho não é mesmo?). Clique aqui pra ter acesso ao site oficial da prova e para mais detalhes de valores nas distâncias de 10k e 21k. Não somente a inscrição era salgada mas o destino também, como passagens, hotéis e restaurantes. Na época a Aerolineas Argentinas era a mais barata (por volta de R$2.500) e optamos por ela mas ultimamente a Latam tem lançado algumas boas ofertas. Ficamos no Hotel De Los Andes: melhor localização não há porém era muito barulhento. No Ushuaia, a moeda oficial é o peso argentino porém em alguns lugares costumam receber dólar e real. Uma dica é fazer o câmbio em Buenos Aires mesmo pois não valia a pena fazer no destino final.
Vamos falar do que mais interessa? Dos preparativos até a corrida? Nossa preparação foi parecida com as das outras maratonas mas tentamos encaixar alguns treinos de montanha e escada pra servir como fortalecimento. Isso porque é sabido que em corridas de montanha, dependendo da altimetria, em grandes momentos se caminha! E referente ao clima frioooo, não tivemos como nos preparar. Procuramos informações de corredores que já tinham corrido no gelo/neve mas não conseguimos. Então a ideia foi levar todos os tipos de roupa e correr uns dias antes pra sentir como o nosso corpo iria responder ao frio. Ah, claro que os tênis teriam que ser de trilha. O da Raquel foi da The North Face e do Rafael foi da Salomon e não precisou de grampões (clique nos links ao final da matéria pra saber mais). No primeiro dia, confesso que um medinho deu pois fizemos um passeio no Canal Beagle e o vento estaba muuuuito forte. Só Pensamos: “Meu Deus, como será no meio da montanha e no escuro já que, na hora da largada, em Ushuaia ainda não teria o sol nascido.”20180824_120412
Um dia antes da prova, fomos ao Fire Walk Shopping Center pra pegar o número de peito (já que o kit foi enviado pra nossas residências ainda no Brasil) e mostrar os itens obrigatórios tais como mochila de hidratação, lanterna, anarok, blusa de algodão ou de tecido tecnológico e apito. Aconteceu uma breve explanação sobre a prova e questões de logística pelo Kiko (organizador) o que foi de muita valia pra “batermos o martelo” sobre quais roupas iríamos usar na prova.
No dia da prova, cedinho, pegamos o transfer fornecido pela prova que saía perto da Secretaria de Turismo (e também perto do Hotel) e subimos até a Estação de Esqui Cerro Castor onde seria a largada da prova. Não tinha nem sinal do sol nascer e lá estávamos se preparando pra largar. Ou seja, imprescindível a utilização das lanternas, de preferência as de cabeça, por sua comodidade. Frio????? Demaaais, temperatura por volta do 0oC (sensação térmica sei lá o queeee). Achávamos que o pé iria congelar tendo em vista o terreno ser só gelo/neve mas nãaaaaao. Uma boa meia grossa e um tênis trail sustenta este contato com o frio. Agora, uma coisa que não é item obrigatório, mas não conseguimos correr sem, foi a luva! Ela faz toda a diferença! Ah, não usamos bastões! Colocamos na balança a altimetria da prova e achamos que ele iria mais atrapalhar do que ajudar. Essa é uma decisão importante em cada prova pois não são todas as provas de montanha que se faz necessário usa-los.
A organização, pensando na segurança de seus corredores, decidiu fazer várias voltas no percurso pra completar os 42k (detalhe, foram somente 37k). Ou seja, a primeira parte tinha uma altimetria baixa e na segunda parte que vinha aqueeeeela subida pois subíamos pela pista de esqui, claro, íngreme! Ganho de altimetria foi de 811 metros. Nós odiamos provas que dão voltas assim em vez de ser um percurso único. Não sei o que aconteceu mas passou tão rápido que, quando vimos, já tínhamos terminado a prova, encantados com tamanha grandeza daquela imensidão branca! Durante o percurso, as cabanas da estação de esqui serviram de apoio aos corredores com banheiros, chocolate quente, croissant e por aí vai. Se entramos em alguma? Não. Kkkkkk. Depois dos quilômetros iniciais ficamos com tanto “sangue no olho” que só deu tempo de beber água, Gatorade e uma Ruffles nas barracas no meio do percurso. Impressionante como nos dá a impressão de que no frio o corpo não se desgasta tanto quanto no calor.
Pelo menos, o corpo não dá tantos sinais de sofrimento durante a prova e no dia seguinte também. Afinal de contas, no dia posterior estávamos novamente na estação andando de snowboard. rs. Ah, uma última dia pós prova: leve uma roupa seca pra trocar logo  após o término da prova. Faz toda a diferença pois é aí que você começará a sentir frio…
FTR1340341
Como sempre, a organização do Mountain Do arrasa nas medalhas e troféus bem como na premiação. No mesmo dia à noite, participamos da cerimônia de premiação e ganhaaaamos: Raquel – 4º lugar geral (1º na categoria) e Rafael – 8º lugar geral (3o na categoria). Logo depois fomos pro Yamana Bar + Patins assistir à apresentação de Patins e de Hoquéi no gelo, tudo oferecido pela organização.
Se valeu à pena? Nossa, sem palavras. Essa prova ficará em um lugar especial nos nossos corações. E por que mesmo no Brasil não tem neve? Kkkkk. Ficamos mal acostumados! E se você for correr esta prova ou outra na neve e ainda tenha alguma dúvida, fale com a gente! Teremos o maior prazer em ajudar, no que for possível! Clique aqui e assista à matéria da Record completa sobre a prova e aqui para assistir ao vídeo institucional do Mountain Do!
Equipamentos utilizados:
ELA
FTR1339757
Tênis: The North Face – Ultra MT; Calça: 2xu; Meia: Columbia; Mochila de Hidratação: Salomon;
ELE
FTR1339695
Tênis: Salomon – SpeedCross 4; Calça: 2xu; Mochila de Hidratação: Camelbak; Luva: Columbia; Corta Vento: Kalenji – Decatlhon
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s